terça-feira, janeiro 18, 2011

O Mundo lá fora e a Mundial na TV


Eu já estava quase de saída quando resolvi dar uma olhada na TV enquanto comia um pão. Desenhos e mais desenhos, programas de culinária... Até que passei pelo canal das Boas Novas. Era um programa de oração pelas pessoas, realizado pelo pessoal da igreja Mundial do Poder de Deus. E resolvi assistir um pouco para ver no que dava...

O pastor estava falando sobre dízimos e lançou as seguintes palavras: "Não gasto dinheiro com remédio, porque sou dizimista; meu carro não quebra, porque sou dizimista; minha máquina de lavar não quebra, porque sou dizimista..."

Nunca pensei que dava para ouvir tanta heresia em menos de um minuto... Como se já não fosse muita besteira, o pastor pergunta: "Quem gostaria que esse programa terminasse?"- na hora eu respondi "eu quero". Aí ele disse "ninguém, né?"; "só quem quer é o diabo e seus demônios"... Então, comecei a achar graça- pois parecia que eu era um demônio.

Ah, ainda teve um momento em que ele disse que não aceitava sofrimento porque era um filho de Deus... Aí parei. Desliguei a TV e vim para a universidade.

Só quero falar sobre alguns pontos sobre isso:

- Observe a declaração do apóstolo Paulo: "Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." (Fl 4.10-13)

Será que Paulo não era filho do Rei? Ou ele passava tribulações por não ser dizimista (da Mundial)? Por favor... A tribulação produz paciência, a paciência produz experiência e a experiência produz esperança; e querem dizer que um cristão de verdade ("dizimista"- talvez essa seja a definição moderna propagada pela maioria dos líderes que falam na TV) não sofre? Isso não é evangélico. E ainda mais quando se oferece refrigério às pessoas através de um lenço consagrado para recolher o dízimo delas, a fim de que elas "sejam uma bênção". Sinceramente, não dá. São poucos- bem poucos- os programas ditos evangélicos que realmente prestam. E não são só os da Mundial ou de outras igrejas- até da minha própria denominação já vi coisa ruim na TV (só estou falando da Mundial neste artigo porque vi hoje pela manhã). Precisamos de programas genuinamente cristãos. E não de programas que falam 1 Kg de nada, 10 Kg de dízimo, 500 g da própria vida do pastor e nada sobre Jesus e Sua obra na cruz do calvário.

Que Deus levante mais pessoas realmente cristãs e, por Sua graça, as use na mídia para ajudar a multidão de pessoas necessitadas de Jesus- e não de conversa furada, auto-exaltação e confiança em dízimos e ofertas.

- Por que alguns dos melhores programas da Boas Novas em Belém só são exibidos à noite (bem tarde)? Eis alguns em especial: Abrindo a Bíblia e Viajando pela História (se é que ainda passa). Outros programas que assisto quando dá é Antenados e Voz Jovem. Enfim, se alguém sintonizar na Boas Novas aqui de Belém durante o dia inteiro, eu diria que muito da programação vai ser da Mundial e de programas "muito edificantes"... Só gostaria de pedir para que isso fosse revisto. Que Deus tenha misericórdia de nós...


Que Deus nos perdoe.



2 comentários:

Mario Sérgio disse...

Infelizmente certos programas "evangélicos" são usados para falar sobre tudo, menos de Jesus (ou muito pouco sobre ele). Certo dia vi um desses programas da Igreja Mundial, e seu líder desafiava os crentes a entregarem 20% do salário. Razão desse aumento do dízimo? Mostrar que a crise financeira mundial não atinge os crentes! Em termos de imaginação esses apresentadores são muito bons. Vejo cada exploração do sentimentalismo popular, cada distorção da Bíblia para que ela "fale" mais sobre contribuição...

Deus tenha misericórdia!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Nilton Rodolfo,

A Paz do Senhor!

Agradeço sua honrosa visita e comentário lá no Point Rhema.

Quanto ao seu excelente post, creio que nem temos mais o que dizer sôbre o assunto. Tais programas falam de piedade e negam a eficácia dela.

A chamada "Teologia da prosperidade", no meu entender, é o maior veneno embrulhado como presente, que o diabo lançou sôbre os pentecostais dessa geração.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto